Disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana

Histórias orais de negros e minorias étnicas de Bawso (BME)

O projeto Bawso BME Oral Stories visa registrar e preservar digitalmente 25 histórias orais e 25 histórias digitais (vídeos de 3 minutos) de usuários do serviço Bawso.

O projeto está alinhado com a Lei do Bem-estar e das Gerações Futuras do País de Gales (2015) e promove a coesão, ao mesmo tempo que contribui para a rica cultura galesa e para o trabalho do Museu Nacional do País de Gales.

Este é um projeto de parceria entre Bawso, o Museu Nacional do País de Gales e o Centro de Contação de Histórias George Ewart Evans da Universidade de Gales do Sul. Recebeu financiamento do National Lottery Heritage Fund durante um ano.

Conheça a equipe que trabalha nas histórias do Bawso BME

Nancy Lidubwi, gerente de políticas de VAW da Bawso

BIO

Nancy Lidubwi trabalha para Bawso como Gerente de Políticas de Violência Contra as Mulheres e é a líder do projeto. Como tal, o seu papel é manter a supervisão gerencial durante todo o projeto através de um membro nomeado da equipe.  

Ela é responsável pela gestão geral das subvenções, monitoramento e relatórios, toda a imprensa e publicidade do projeto, todos os aspectos de recrutamento, gestão e apoio aos participantes do projeto.  

Nancy é responsável por todo o envolvimento público com o projeto, incluindo ser o primeiro ponto de contato para todas as perguntas sobre o projeto, participa de todos os workshops do projeto, reuniões mensais de gerenciamento do projeto e fornece à equipe do USW qualquer treinamento e induções específicas do BAWSO.  

Outras funções incluem a gestão de acordos contratuais para avaliação do projecto, a coordenação de um grupo director do projecto que inclui representação das partes interessadas necessárias, BAWSO e USW e a gestão das relações com os parceiros do projecto.  

Nancy trabalhou com Bawso em diferentes funções, incluindo Chefe de Desenvolvimento de Negócios, responsável pela arrecadação de fundos e desenvolvimento de estratégias para tornar a instituição de caridade financeiramente sustentável. Ela também trabalhou como Chefe de treinamento e engajamento de usuários de serviços, onde desenvolveu e ministrou treinamentos para organizações tradicionais e instituições de caridade sobre violência contra mulheres a partir de uma perspectiva negra e de minorias étnicas. Esta função incluía a defesa dos direitos dos utilizadores dos serviços e a garantia de que as suas vozes eram ouvidas e incluídas na concepção e implementação de políticas e que as suas necessidades eram colocadas no centro da prestação de serviços. 

Nancy possui mestrado em Economia e Desenvolvimento Social e bacharelado em Sociologia. 


Dra. Sophia Kier-Byfield, Associada do Projeto Bawso Oral Stories, Universidade de Gales do Sul

BIO

Como investigadora de pós-doutoramento com interesses no feminismo e em como as artes podem amplificar as vozes e histórias de comunidades minorizadas, é um privilégio trabalhar com Bawso e o Museu Nacional do País de Gales neste importante projeto. O trabalho de linha de frente de Bawso é único na forma como atende às necessidades específicas das comunidades BME no País de Gales e além, e o envolvimento com o museu como um local para contar histórias irá, esperançosamente, animar novas histórias sobre o que significa para os sobreviventes encontrar um lar no País de Gales.

Como investigador da Universidade de Gales do Sul, sou responsável pelo planeamento diário, organização e entrega do projeto. Os primeiros meses do projeto envolveram conhecer meu novo local de trabalho, colegas e reuniões com parceiros do projeto. Foi um prazer conhecer colegas da Bawso em todo o País de Gales do Sul, curadores da St Fagans e arquivistas da People's Collection Wales, compreender as suas estruturas e prioridades com o projeto e começar a implementar planos para os workshops participativos para os utilizadores dos serviços da Bawso. Os workshops acontecerão entre janeiro e abril de 2024.

Falar com o pessoal da linha da frente em Bawso tem sido particularmente importante neste processo de familiarização e planeamento. Descobrir quais dias da semana são mais convenientes para os participantes em diferentes áreas, organizar o nosso projeto em torno de feriados religiosos e implementar cuidados infantis são detalhes que esperamos que tornem a participação mais conveniente e agradável. Também tenho mantido contactos com parceiros para descobrir formas de tornar os workshops interessantes e proporcionar oportunidades aos participantes não só para contarem histórias, mas também para experimentarem e brincarem com a forma como são contadas e registadas.

Desde o início do projeto, solicitei com sucesso o apoio do Fundo de Atividade Cívica do USW para nos permitir criar recursos duradouros (materiais didáticos e um panfleto de histórias) que ajudarão os membros do público a continuarem envolvidos com as histórias uma vez que o projeto terminou.

A fim de entregar o projeto com os mais altos padrões éticos e de qualidade, estes primeiros meses do meu cargo também envolveram a indução na USW, treinamento de atualização em Contação de Histórias Digitais, treinamento em história oral com a People's Collection Wales e posterior introdução no trabalho de Bawso por participando e apoiando seus eventos públicos, como o lançamento do Relatório de Pesquisa sobre Casamento Forçado no USW e o Dia do Laço Branco na Catedral de Llandaff.


Professora Emily Underwood-Lee

BIO

Estou muito satisfeito por trabalhar no projeto Bawso Oral Stories. Meu papel no projeto é liderar a contação de histórias e a coleta de história oral. Espero que possamos permitir que os usuários do serviço Bawso compartilhem as histórias que nos contam e que desejam que sejam ouvidas e preservadas.

Este projeto desenvolve-se na minha colaboração contínua com Bawso e no meu trabalho anterior explorando como permitir que as vozes dos sobreviventes sejam ouvidas. Estou particularmente interessado em pensar sobre como podemos trabalhar com as comunidades que Bawso apoia para garantir que as suas histórias sejam ouvidas nos lugares, e pelas pessoas, que os próprios contadores de histórias sintam necessidade de ouvir. Sabemos que a voz dos sobreviventes deve estar no centro das políticas e práticas e espero que este projecto possa contribuir para uma prestação genuinamente orientada para as necessidades. Este projeto permitirá que histórias sejam partilhadas como parte da coleção nacional e ajudar-nos-á a compreender a amplitude das experiências do povo do País de Gales. Também sabemos que compartilhar histórias pode criar conexões, fomentar a comunidade e a compreensão e melhorar o bem-estar e estou entusiasmado por fazer parte deste trabalho com os usuários do serviço Bawso.

O meu trabalho de investigação mais amplo centra-se na amplificação de histórias pessoais pouco ouvidas de pessoas cujas vozes podem ter sido ignoradas e na diferença que ouvir essas histórias pode fazer nas políticas, na prática e na vida quotidiana tanto para quem conta como para quem ouve. Tenho um interesse particular em histórias maternas, de género, de saúde/doença e de património. Sou professor de Estudos da Performance na Universidade de Gales do Sul, onde sou codiretor do George Ewart Evans Center for Storytelling e copresidente da Violence Against Women, Domestic Abuse, and Sexual Violence Research Network Wales. Minhas publicações recentes incluem o livro em coautoria Maternal Performance: Feminist Relationships (Palgrave 2021), a coleção editada Mothering Performance (Routledge 2022) e uma edição especial da revista revisada por pares Storytelling, Self, Society on 'Storytelling for Health' ( 2019).

Uma viagem aos museus galeses 

Bawso no Museu de Ardósia Llanberis 

Uma visita ao Museu Nacional de Cardiff

Bawso visita o museu Llanberis no norte do País de Gales em 12 de abril de 2024 

Nação Cymru – Postagem de Notícias